terça-feira, 12 de março de 2013

A RIQUEZA DO TEMPO PASCAL

Pe. Gilberto Kasper pe.kasper@gmail.com Mestre em Teologia Moral, Especialista em Bioética, Ética e Cidadania, Professor Universitário, Assistente Eclesiástico do Centro do Professorado Católico, Reitor da Igreja Santo Antônio, Pão dos Pobres da Arquidiocese de Ribeirão Preto e Jornalista. A Riqueza do Tempo Pascal não é o ato histórico-temporal da passagem do Cristo que se torna de novo presente: esse ato foi realizado uma vez por todas. Mas ele permanece em seu resultado: o Cristo glorificado é aquele que passou ao Pai por sua morte-ressurreição. Por ser este ato o ato do Filho de Deus, reveste um caráter de eternidade e nos pode ser aplicado realmente hoje. Assim, sob a influência da cabeça, que passou uma vez por todas, continua a operar-se até à parusia, a passagem (a Páscoa) dos membros de seu corpo. E isto nos leva a uma observação mais geral: na Páscoa e nas outras festas é sempre o mistério total da salvação que se celebra. Mas na Páscoa, ele é celebrado numa visão diretamente centrada no âmago e no conjunto da história da salvação, enquanto que, nas outras festas do Senhor, da Virgem e dos Santos, é dirigindo a atenção para uma das etapas da história da salvação que nos aproximamos do centro. Por que Deus nos faz realizar a passagem de modo mais intenso em certos momentos de nossa vida, e não de maneira mais uniforme? Simplesmente porque Ele nos trata como pessoas. É próprio de a natureza humana experimentar momentos mais significativos, alternativas e ritmos, tempos fortes, emergindo da rotina de todos os dias. Assim, o mistério pascal se insere em nossa vida, através dos ritos litúrgicos, em momentos privilegiados em que nossa capacidade subjetiva de acolhimento pode concretizar-se. Observamos, finalmente, que o retorno anual do momento forte do Tempo Pascal se baseia numa convivência de ordem natural e cultural; vivemos realmente em ciclos de anos e nossa existência é dependente do sol. Assim, inserindo-se no ciclo anual, o momento forte e A Riqueza do Tempo Pascal insere-se em nossa vida. Saibamos aproveitar da riqueza deste tempo à luz do que nos propõe a Porta Fidei, O Ano da Fé, isto é, testemunhar sem escrúpulos e medos nossa verdadeira e profunda fé no Cristo Ressuscitado! É Ele, o Ressuscitado que deve ser a razão de nossa fé, o sentido de nossa vida, a realização de nossa felicidade plena, alimentada de esperança em esperança, por um mundo mais humano e digno!

Nenhum comentário: